Pages

Subscribe

05/03/2010

GENTE QUE FAZ! MULHERES NOTA 10


Nessa semana estaremos comemorando o dia da mulher, e essas mulheres bombaram no ano passado, cinco mulheres receberam os prêmios mais importantes do planeta terra, o famoso PRÊMIO NOBEL. E como dia 08.03 é dia internacional das mulheres, presto minha homenagem a essa mulheres especiais:

Elinor Ostrom e Oliver Williamson, ganharam o prêmio Nobel de Economia.

Elizabeth Blackburn e Carol Greider, com Jack Szostak, dividiram o prêmio de Medicina, por suas descobertas de como a enzima telomerase protege os cromossomos. O trabalho lança luz nos estudos do câncer e do processo de envelhecimento.

O Nobel de Química, por sua vez foi partilhado entre a israelense Ada Yonath e os americanos Venkatraman Ramakrishnan e Thomas Steitz, por mostrarem como os ribossomos - máquinas produtoras de proteínas dentro das células - funcionam, trabalho que tem implicação importante para os antibióticos.




Vou falar um pouco dessa escritora alemã nascida na Romênia Herta Müller, 56, que ganhou o prêmio na categoria litertatura, por conta e uma obra "com a concentração da poesia e a franqueza da prosa, que descreve a paisagem dos excluídos''. Uma mulher marcada pela ditadura que mapeou as dificuldades e humilhações impostas pelo regime brutal de Nicolae Ceausescu, recebeu o prêmio por retratar "a paisagem dos despossuídos". A autora tem apenas um livro publicado no Brasil: "O compromisso", lançado em 2004 pela editora Globo. A Academia Sueca, que elogiou "a concentração de sua poesia e a franqueza de sua prosa", disse que Müller ficou sem palavras ao ser informada de que recebera o prêmio.

Ela diz numa entrevista: - Minha escrita sempre tratou de como uma ditadura surge, como uma situação pode ocorrer em que um punhado de pessoas poderosas dominam um país e o país desaparece, e só resta um Estado - disse Mueller à Reuters. - Acho que a literatura sempre emerge de coisas que fizeram dano a alguém, e há um tipo de literatura em que os autores não escolhem seu assunto, mas lidam com um que lhes foi lançado - não sou a única escritora assim. Na cidade em que cresci, não havia romenos. Aprendi o romeno no colégio como se fosse uma língua estrangeiram, explicou uma vez a escritora.

A qualidade especial dessa escritora é a humildade, e somente uma pessoa muito sofrida apresenta esse valor com categoria. Sua escrita e a coragem de suas metáforas já renderam vários prêmios literários, incluindo o Kleist, uma das maiores recompensas alemãs, em 1994, e o Prêmio Würth de literatura europeia em 2006.


Nascida em 17 de agosto de 1953 em Nitchidorf, perto de Timisoara, em uma região de tradição de língua germânica, Banat, Herta Müller é neta de um agricultor e comerciante acomodado que perdeu as propriedades com o comunismo. Sua mãe foi deportada para um campo de trabalho da União Soviética depois da Segunda Guerra Mundial. Seu pai foi membro das Waffen SS (corpo militar das SS) durante a guerra. Entre 1973 e 1976, estudou alemão e literatura romena na Universidade de Timisoara. Ao fim dos estudos, integrou uma associação de escritores de língua germânica, o "Aktionsgruppe Banat" (grupo de ação de Banat) e trabalhou como tradutora em uma fábrica. Em 1979 perdeu o emprego de tradutora por ter se recusado a colaborar com a Secumritate, a polícia política do regime comunista, que nunca deixou de perseguir a escritora. Depois de ser demitida, passou a dar aulas particulares de alemão e se dedicar à literatura. Em 1987 se exilou na Alemanha Ocidental. Atualmente mora em Berlim.


Pouco conhecida do grande público até o início dos anos 2000, Herta Müller foi descoberta pela crítica alemã em 1984, com a publicação do livro de contos "Niederungen" ("Em Terras Baixas"), que saiu clandestinamente da Romênia. Em "Herztier" pinta o mundo dos dissidentes romenos. Em "Heute wär ich mir lieber nicht begegnet" mostra a angústia de uma mulher convocada pela polícia política de Ceaucescu. Seu último romance, "Atemschaukel", que trata do exílio dos alemães da Romênia para a URSS em 1945, foi aclamado pela crítica alemã ao ser publicada em agosto.


Eita mulheres danadas!
Nós tambem somos, né.

Paz e Bem.

Fonte: http://nobelprize.org/nobel_prizes/literature/laureates/2009/

http://oglobo.globo.com/pais/noblat/posts/2009/10/08/herta-mueller-vence-nobel-de-literatura-2009-230535.asp.

15 comentários:

Odorica Ion disse...

Va multumesc ca existati ! Sinteti mindria noastra a romanilor !
Cu respect si consideratie,
Odorica

Norma Villares disse...

Odorica,
Muito obrigada pela visita. Essa romena que recebeu o OSCAR também é orgulho para nós mulheres.
Grande abraço

Norma Villares disse...

Odorica disse:
Obrigado por existir! Ela é o nosso orgulho dos romanos!
Com respeito e consideração,

Norma Villares disse...

Odorica,
Va multumim pentru vizita. Asta român care a castigat Oscarul este, de asemenea mandrie pentru noi femei.
Big hug

Mel Redi disse...

GRANDE MULHER! ORGULHO PARA TODAS NÓS! Obrigada Norma, por trazê-la à esta justa homenagem! Abraço, Mel

A Magia da Noite disse...

a Mulher será sempre uma das grandes forças da natureza.

Cris Tarcia disse...

Que beleza , mulheres fantasticas, realizando seus sonhos.

Beijos amiga

Jorge disse...

Norma

Gostei da citação de que a mulher é uma das grandes forças da Natureza.
Uma reverência à extraordinária capacidade da mulher de tudo superar!!

Anjo, parabéns pelo seu dia!!!

Com muito carinho,
Jorge

Elizabeth disse...

Oi Norma,
E VIVA as MULHERES!
Muita luz.

Ковёр-самолёт disse...

Norma, vc fala romeno??? Nossa! Eu há alguns anos atrás tentei aprender romeno, entendo um pouco. Eu gostava muito de música romena. Das cinco principais línguas neolatinas, falo quatro, a única que falta é romeno... Você dá aulas?

Norma Villares disse...

Obrigada amigos pelos comentários.

Mulheres Nota 10, é muito importante partilhar sobre elas.
Grande abraço

Pelos caminhos da vida. disse...

M de Mulher:

Seus Malabarismos Mágicos Manipulam Marionetes.
Meninas, Mães, Madres, Marquesas e Ministras.
Madalenas ou Marias.

Marinas ou Madonas.
Elas são Manhãs e Madrugadas.
Mártires e Massacradas.
Mas sempre Maravilhosas, essas Moças Melindrosas.
Mergulham em Mares e Madrepérolas, em Margaridas e Miosótis.
E são Marinheiras e Magníficas.
Mimam Mascotes.
Multiplicam Memórias e Milhares de Momentos.
Marcam suas Mudanças.
Momentâneas ou Milenares, Mudas ou Murmurantes,
Multicoloridas ou Monocromáticas, Megalomaníacas ou Modestas,
Musculosas, Maliciosas, Maquiadoras, Maquinistas,
Manicures, Maiores, Menores, Madrastas,
Madrinhas, Manhosas, Maduras, Molecas,
Melodiosas, Modernas, Magrinhas.
São Músicas, Misturas, Mármore e Minério.
Merecem Mundos e não Migalhas.
Merecem Medalhas.
São Monumentos em Movimento, esses Milhões de Mulheres Maiúsculas.

(texto tirado da net).

FELIZ DIA INTERNACIONAL DA MULHER.

beijooo.

Alma Mateos Taborda disse...

Las mujeres conformamos la parte indivisible de la historia grande. Bravooo por este post! Felicitaciones! Un abrazo.

ALUISIO CAVALCANTE JR disse...

Querida amiga.

Penso que se o mundo fosse mais feminino
ele seria mais calmo.
Mulheres tem o dom de cuidar.
De fazer a vida melhor com o afeto que inspiram.

Feliz dia da mulher.
Para mim este dia dura o ano todo.

Elaine Regina disse...

Obrigada, Norma!! Desculpe a demora... Mas creio que nos próximos meses eu vou demorar mais para responder aos comentários e para postar coisas também... Ocupações com meus estudos...

Rainer Maria Rilke escreve de uma forma que é difícil de descrever. Logo postarei meu trecho preferido de "Cartas a um jovem poeta"... Pois tudo tem seu tempo...

Falando sobre seu post, é óbvio que também estou preparando umas coisinhas para a nossa semana!!! Uh uh!! A gente merece! Todas a mulheres merecem!!
BJ!!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...