Pages

Subscribe

03/05/2011

Ele quem mesmo???


Depois de um bom tempo dizendo que eu era a mulher da vida dele, um belo dia eu recebo um e-mail dizendo: 'olha, não dá mais'. Tá certo que a gente tava quase se matando e que o namoro já tinha acabado mesmo, mas não se termina nenhuma história de amor (e eu ainda o amava muito) com um e-mail, não é mesmo?

Liguei pra tentar conversar e terminar tudo decentemente e ele respondeu: mas agora eu to comendo um lanche com amigos'. Enfim, fiquei pra morrer algumas semanas até que decidi que precisava ser uma mulher melhor para ele. Quem sabe eu ficando mais bonita, mais equilibrada ou mais inteligente, ele não volta pra mim?

Foi assim que me matriculei simultaneamente numa academia de ginástica, num centro budista e em um curso de cinema. Nos meses que se seguiram eu me tornei dos seres mais malhados, calmos, espiritualizados e cinéfilos do planeta. E sabe o que aconteceu? Nada, absolutamente nada, ele continuou não lembrando que eu existia.

Aí achei que isso não podia ficar assim, de jeito nenhum, eu precisava ser ainda melhor pra ele, sim, ele tinha que voltar pra mim de qualquer jeito!

Pra isso, larguei de vez a propaganda, que eu não suportava mais, e resolvi me empenhar na carreira de escritora, participei de vários livros, terminei meu próprio livro, ganhei novas colunas em revistas, quintupliquei o número de leitores do meu site e nada aconteceu. Mas eu sou taurina com ascendente em áries, lua em gêmeos, filha única! Eu não desisto fácil assim de um amor, e então resolvi tinha que ser uma super ultra mulher para ele, só assim ele voltaria pra mim.

Foi então que passei 35 dias na Europa, exclusivamente em minha companhia, conhecendo lugares geniais, controlando meu pânico em estar sozinha e longe de casa, me tornando mais culta e vivida. Voltei de viagem e tchân, tchân, tchân, tchân: nem sinal de vida.

Comecei um documentário com um grande amigo, aprendi a fazer strip, cortei meu cabelo 145 vezes, aumentei a terapia, li mais uns 30 livros, ajudei os pobres, rezei pra Santo Antonio umas 1.000 vezes, torrei no sol, fiz milhares de cursos de roteiro, astrologia e história, aprendi a nadar, me apaixonei por praia, comprei todas as roupas mais lindas de Paris.

Como última cartada para ser a melhor mulher do planeta, eu resolvi ir morar sozinha. Aluguei um apartamento charmoso, decorei tudo brilhantemente, chamei amigos para a inauguração, servi bom vinho e comidinhas feitas, claro, por mim, que também finalmente aprendi a cozinhar. Resultado disso tudo: silêncio absoluto.

O tempo passou, eu continuei acordando e indo dormir todos os dias querendo ser mais feliz para ele, mais bonita para ele, mais mulher para ele.

Até que algo sensacional aconteceu...

Um belo dia eu acordei tão bonita, tão feliz, tão realizada, tão mulher, que eu acabei me tornando mulher DEMAIS para ele. Ele quem mesmo???

Martha Medeiros

Sem compreender que nascemos e morremos sozinhos. Eu troquei a minha vida pela vida do outro. Mas, um dia acordei e iniciei a trajetória em direçao a mim mesma, pois a única vida pela qual sou responsável é a minha própria vida. Passado um bom tempo e, graças ao bom Deus, a ficha caíu! Nunca é tarde, né. Está em minhas mãos o poder de ser quem eu nasci para ser. E assim a vida acontece... Linda e boa para reflexão essa crônica da nossa querida Martha. Abraços sublimes


7 comentários:

Bloguinho da Zizi disse...

Tem coisa melhor que fazer por nós?
Mas ele teve um papel importante não podemos negar.
Lindo!
Gratidão

Rejane de Fátima Pedrosa Ramos disse...

Juro que a Martha Medeiros se espelhou em mim, ou melhor, em nós né? (rsrs)
F a n t á s t i c o !!
Bjs

Norma Villares disse...

Com certeza, cada ser humano já viveu essa experiência. Agora é rir dela. Beijossssss

Thiago Silva disse...

já conhecia a crônica, mas reli novamente e adorei seu comentário adicional.... pois estou passando novamente esse aprendizado, aprendendo a curtir a mim mesmo! Enjoy myself!!!

No começo é complicado, meio dramático, mas depois, só alegria!!!

paz e bem

angela disse...

O melhor pedaço é aprender, ou melhor, reaprender a ficar bem consigo mesma.
beijos

Regina Santos disse...

Adorei Norma!!! Seu blog é muito aconchegante!!! Obrigada por compartilhar conosco seus pensamentos! Um grande abraço,

Cris Tarcia disse...

Normal, sensacional.

Beijos e um iluminado final de semana

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...