Pages

Subscribe

21/08/2009

TUMBALALAIKA




Neste último domingo assisti pela 2ª vez, o filme a “Jornada da “Alma”, dirigido por Roberto Faenza, onde dois pesquisadores resgatam a história de uma psicanalista russa Sabina Spielreim que foi tratada por Gustav Jung, com quem também teve um envolvimento amoroso.
Não vou contar o filme, para não tirar o gostinho...
Algumas partes ficaram na cabeça e são lindas, sensíveis e perfeitas para coisas do coração, como esta canção:

Tumbalalaika
Shtyl a boccher, on un tracht
Tracht un tracht a gatze nacht
Vemen tsu nemen un nit far shemen,
Vemen tsu nemen nit zu far
Refrain
Tumbala, tumbala, tumbalalaika,
tumbala, tumbala, tumbalalaika
Tumbalalaika, shpiel balalaika
Shpiel balalaika, freylacvh zol zayn
Meydl, meydl, ch´vel bay dir fregen,
vos kan vaksn, vaksn on regn?
Vos kon brenen un nit oyfhern?
Vos kon beken, veynen on treren?
Refrain
Narisher bocher vos darfstu fregn?
A shteyn ken vaksn, vaksn, on regn.
Libeh ken brenen un nit oyfhern
A harts kon benkn, veynen on treren

Tradução:

RECORDAÇÕES

Estará errado, ele pergunta, ou talvez certo?
Deverá declarar seu amor, escolher ousar?
E ela aceitará, ou recusará?

Tumbala, tumbala, tumbalalaika,
Tumbala, tumbala, tumbalalaika
tumbalalaika, toque a Balalaika,
tumbalalaika - nos deixe ser felizes.

Senhora, senhora, me diga novamente
O que pode crescer, crescer sem a chuva?
O que pode incendiar durante muitos anos?
Quem pode ansiar e chorar, sem lágrimas?
Tolo rapaz, por que ainda pergunta?

É a pedra que cresce, que cresce sem chuva.
É o amor que pode incendiar por anos.
É o coração que pode chorar sem lágrimas.

Outra passagem interessante, no início do filme, quando Sabina conversa com o Anjo da Guarda, e diz:

- O que pode crescer sem chuva?
O que pode arder por anos a fio?
Pedras crescem sem chuva
Somente o Amor pode arder por anos a fio

Ainda mais adiante Sabina fala:

- Vê amor em toda parte, não é? É a força que governa o mundo. Não existe cura se não houver amor. Você me disse isso, lembra?
Como explorador da mente humana achei que nada poderia chocá-lo.

O amor tem de ser maior que o medo.

Estou muito feliz. Então porque choras? Maldita felicidade!
Deveria ser bendita. Mas, maldita felicidade!,


E a ultima que me impressionou foi quando a pesquisadora despede do pesquisador e diz um trecho do poeta russo Boris Pasternack:


"Quando você não pode olhar dentro da alma de alguém tente ir embora e depois voltar".

É muito forte estas falas poéticas, ambos russos. Há um vasto manacial criativo, quando se vai embora, deixando o rastro de silêncio, para instaurar o vácuo... e mais tarde voltar. É preciso deixar que a dor da ausência se faça presente. Quem tem ir, vai... Quem tem que voltar, volta...

O amor é grandioso e deve ser maior que o medo de amar. E somente o Amor pode arder por anos a fio. Só o AMOR... Só o Amor é infinito.

Lindo!


Não vou contar assistam, cantem e dancem.

TUMBALALAIKA!
TUMBALALAIKA!
TUMBALALAIKA!

5 comentários:

Sassá Luz disse...

Muito bonito este filme, resgatou Sabina Spielreim. E a música é nota 10. Abraços

Marcos Takata disse...

Somente o Amor pode arder por anos a fio. Muito bonito amiga. Eu não assisti, mas vou ver. Bijus

Norma Villares disse...

Sabe como sou, adoro cinema. Obrigada pelos comentários

Lívia Luz disse...

Amei este filme, principalmente da música. Tumbalalaika! O amor é lindo. Beijo no coração

Norma Villares disse...

Eu sei Lívia, rsrsrs. Beijo

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...