Pages

Subscribe

21/01/2010

NA FLORESTA DA MINH’ALMA


Na floresta do fugaz fascínio pude enxergar a beleza efêmera e o sol aparece com seus doces raios e iluminam o céu.
E o tempo passou pelo pó do eterno, em vão abre-se um espaço para acurar a visão no que dista do tão distante. O longe não pode alcançar...
São coisas que os olhos não viram e não vêem anuaviados na efemeridade do grande imaginário perceptível.

Mas o coração é temperado com a alquimia do sentimento e preparado pelo Divino com esmero e profundo amor.

E como uma velha cabocla fiquei matutando por matutar... Passa o tempo, meditando... e o tempo passa devagar. E o não visível daquilo que é visto, não é fácil enxergar. E no concerto da aurora radiante surge o raio fúlgido da matina, que delineia o invisível e num rasgo de desperta consciência a vista alcança tudo aquilo que dantes não conseguia enxergar.

V
ejo o mundo de meu mundo na floresta cintilante, sem eclipse o sol brilha no interior da alma andante e sedenta de evolução interante na trilha da vida.


E nas brenhas desta floresta fui escutar os sons inaudíveis, ouvi assobio do vento que cantava os cânticos serenos de Deus, ouvi os pássaros que batiam asas, os sussurros da matina que abriam-se em alvoroços e deu uma saudade matadeira... saudades de Deus.

S
ão coisas que os ouvidos não ouviram e não podem ouvir porque estão surdos pela algazzarra da vida material.

Mas assuntei quietinha, pois leva-se muito tempo para escutar o inaudível...

C
omo uma velha cabocla fiquei matutando por matutar... Até que consegui ouvir vibrações sonoras ainda sem escutar. Mas a floresta prateava com a luz de seus relâmpagos e seus raios emitia sons cósmicos e o inaudível fazia-se escutar... E tudo era perceptível reveberando na minh'alma, os sons Cósmicos surgia de mansinho numa escuta gloriosa eu ouvia quietinha...



E nas selvas de mata espessa, caminhei desbravando as rotas “in natura”, abrindo picadas para ver e enxergar, ouvir e escutar.

E
neste profundo matagal sombrio, eu escutei minha alma. Conheci abrigos e alimentos, louvei as pedras, as montanhas, as planícies, os rios e aceanos.. Venci medos seguindo a intuição, errei menos porque escutei mais, enxerguei distante porque acurei meu olhar. Percorri os mapas e descobri novos caminhos das necessidades prementes, e como trilheira aprendiz descobri que a melhor rota é a do coração. São perfumes da alma inebriada pela luz.

Nessa mata densa de cores fortes e veladas, e, de sons audíveis e inaudíveis, acordei-me marcada pela ausência e presença de tudo, pois o vazio inominável se fez atuante tocando meu coração com o silêncio. E no leito existencial acordei no doce rastro do sentido essencial.

A voz da floresta fez uma linda ponte mítica entre o Divino e o homem e nela traziam todo conhecimento cósmico à luz da terra e do céu. As árvores representada pelas suas raízes sendo nutrida pela terra e com seu tronco e galhos com a firme conexão com céu. E deste entrelaçamento todo conhecimento fazia-se presente neste grandioso palco existêncial.

A
cordada, meus ouvidos ouvem, meus olhos vêem os perfeitos bens que a Divina Presença preparou para todos aqueles que o amam no terreno fértil do coração.

Um coração preparado é um coração Divino, mansamente afortunado!
Paz e Bem!


26 comentários:

Ana Cristina Cattete Quevedo disse...

Eu fiquei quietinha também, lendo esse texto poesia que me encantou de tal maneira que fiquei com os olhos rasos d'agua...

Lindo, lindo, lindo

Será que posso repassar para meus amigos?

Beijo!

angela disse...

Lindo e sereno texto. Ouvir e ver com o coração aquilo que é inaudivel e invisivel aos sentidos é estar proxímo ao divino.
beijos

Norma Villares disse...

Angela, muito obrigada pelo elogio, e vindo de você é super elogio.
Grande a afetuoso abraço

Norma Villares disse...

Crisrina,
que bom que ficou quietinha também, é bom. Silenciar e aquietar. Muito bom.

Claro que pode levar, coloque o nome, endereço do blog e data.
Grande a afetuoso abraço

Marcos Takata disse...

Namasté Norminha,
Que linda floresta encantada, eu também depois que li fiquei quieto, silencioso. Me vendo na na floresta da vida, aguçando minha percepção.
Somente o Zen pode compreender este estado tão puro.
Minha querida este texto está lindíssimo.
Bijus

Marcos Takata disse...

Você Norminha é Zen e ainda não descobriu. Sempre siga este rastro de luz em sua vida.
Bijusssssssssssssssssssssss

manuel marques disse...

Texto maravilhoso.

Beijos.

Wanderley Elian Lima disse...

Lindo texto que encanta e acalma. Amei
Beijos

Hugo Cheng disse...

Namaste
Muito sereno mesmo. Belissimo texto, li duas vezes para silenciar.
Abraços

Pelos caminhos da vida. disse...

Norma!

"Há corações que param no passado;
e para que isto não
aconteça com você deixo-lhe este
pequeno lembrete, para que o
seu coração, ao mover-se no futuro,
encontre sempre algo no
presente."

Fim de semana iluminado pra vc amiga.

beijooo.

Helena Rocha disse...

nossa ki textu lindo, da uma paz dipois ki termina di ler sabe, mt interessanti, adori vir aki sempre fiku surpresa. parabénssss inumeras di varias vezes mesmu rsrsrsr....

mt obrgddd pelo elogio no meu bloguitu fiku feliz tbém em saber ki as pessoas estaum gostandu mt obrgdd kerida

volte mais vezes naum paga nada naum é di gratísssss
rsrssr....
bom findíssss


bjússsssssssssssssssssss milllllllllllllllll

Lena

Sight disse...

São coisas que os ouvidos não ouviram e não podem ouvir porque estão surdos pela algazzarra da vida material.
Grande verdade!...Tantas vezes estamos surdos aos pequenos sons que nos chegam de todos os lados...
Texto excelente! Parabens!
Abraço

Alma Mateos Taborda disse...

bello texto!! Un placer leerte. Un abrazo grande.

Sônia Silvino disse...

Norma!
Um texto que acalma e ilumina!
Bjkas e bom domingo!

REGINA GOULART SANTOS disse...

Norma, fiquei inebriada com sua poesia.

Nada como um coração preparado, para ver e enxergar, sentir e se dar, perceber e recomeçar.
E por fim, silenciar e ainda poder amar.

Um lindo domingo

Muitos beijos

Norma Villares disse...

Regina que bom vê-la aqui.
Isso é verdade, ficamos inebriada com a beleza.
Abraços subimes

Norma Villares disse...

Marcos realmente sou Zen, o coração fala mais forte.
Abraços sublimes

Norma Villares disse...

Sonia,
Sight,
Alma,
Helena,
Realmente estamos surdos aos sons da natureza. Precisamos parar e silenciar...
Muito obrigada pela visita e comentários
Sublimes abraços

Norma Villares disse...

Pelos caminhos da vida,
Sempre com um pedaço poético tirado do céu, pra brilhar em nossa vidas.
Muito obrigada
Beijinhos no coração

Norma Villares disse...

Hugo,
Wanderley,
Manuel,
Fico muito feliz em vê-los aqui me visitando e comentando.
Grande e afetuoso abraço

Rejane disse...

Estou passando por aqui, para comunicar que estarei ausente por um tempo.Metamorfósica como sou, sempre em tempo de férias necessito fazer
algumas mudanças na minha casa, na minha vida, e meus Blogs não poderiam ficar de fora(rsrs).
Quando eu voltar ,estarei por aqui, com certeza, se Deus quiser!
Um grande abraço!! Rejane

P.S. O Blog da gula(receitas) permanecerá aberto.

Marcos Takata disse...

Namaste Amiga,
Que texto belíssimo, senti vontade de ir à floresta.
Maravilhoso.
bijusssssssss

Norma Villares disse...

Rejane, boa viagem. Fique feliz!
Beijin hos

Norma Villares disse...

Marcos é só caminhar em direçaão a...
Bijus

Adelia Ester Maame Zimeo disse...

Norminha, estou encantada com tudo aqui! Daria uma bela edição de livro, todo este material precioso. Este texto representa bem o percurso em sua Natureza interna. Quanto de belo tem-se nela e quanto de desconhecido que pode surpreender e assustar. Mas nela, acompanhando o seu trilhar, senti imensa paz pois ela é pura, vibrante, viva e mantem a sacralidade por cada elemento constituinte. Parabéns por tanta e rara beleza interna! Quanto mais te conheço mais te admiro, estimo e reverencio o teu lindo ser! Paz profunda!

Norma Villares disse...

Muito ob rigada pela opinião. Vou pensar com carinho.
Um grande abraço

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...