Pages

Subscribe

26/05/2009

ALMA COLORIDA



Alma colorida
E nada nos limita
Se acha que é uma cor,
engana-se com ela
Alma colorida
E nada nos intimida
Se pensa numa cor,
embaça-se com ela
Alma colorida
E nada nos define
Se crer que é uma cor,
verás que não é ela
Alma colorida
E nada nos limita
Se decide que é uma cor,
verás fudigia da cor
Alma colorida
E nada nos sujeite
Se impregna de uma cor,
perdeu-se de outra cor
Alma colorida...
Abra-se para a cor...
Impregne da cor...
Perca-se na cor...
Liberte-se da cor
Cor, luz e liberdade
Ser todas as cores
E não ser nenhuma cor
Viver a substância de todas cores
É da natureza
Ser Alma colorida
Descolorida fugaz
Simplesmente sendo
Alma colorida...

colorida da essencia da vida


Norma Villares

01.02.2009


É bom brincar de viver, vamos brincar.Veja como é bonito este GIF, é bom fazer algumas reflexões.

De que maneira estamos deixando escapar do cotidiano as muitas cores da natureza em festa, do formoso arco-íris, do prateado de um luar, do brilho de um céu estrelado... Esquecendo de olhar, esquecemos de sonhar, simplesmente porque escolhemos outra coisa. E como diz um filósofo, estamos esquecendo de levar nossos olhos para passear e curtir a riqueza da multiplicidade das cores. Deixar os olhos pausar e se encantar com o luar prateado. Viaje mais longe ainda, numa fazenda onde não tem luz elétrica, olhar o céu estrelado magnificamente bordado por Deus.

E a alma tem cores?

Somos este ser multicolorido retratado no gif?

Depende do móvel, de próposito, projeto, sonho e da escolha. Cada realização desejada recheia de cores a alma em matizes fulgurantes.

Há abundância de luz para o ser humano altruísta, intrépido no trabalho edificante. Rico em intencionalidade positiva, em atos generosos, em pensamentos virtuosos colorirá em especial entretons inimagináveis. Os pensamentos positivos são ricos em cores e espalham no exterior o seu fulgor, em cada cor uma revelação do íntimo essencial, retratado genuinamente. A atmosfera rica em beleza parteja de luz. Como um prisma opulento em cores espelha na aura alva e cintilante. E a luz multicolorida extrapola as fronteiras materiais e caminha em direção as luminosas esferas atingindo todas os seres e todo o planeta. E nesta dança de encantamento da vida, os Anjos se alegram, tocam e cantam a esperança. Mais um ser humano canaliza e conspira para a iluminação. Colorirá... Colorirá... Com certeza colorirá das cores Divinas.

E o ser humano equivocado perante a vida, com consciência distorcida ligada ao egoísmo, com pensamentos maléfico e desvirtuoso. A luz essencial tem um grande obstáculo em sua fruição. “Se a luz que em ti há são trevas, quão grandes são tais trevas”. È a repercussão do íntímo consciencial é muito grave. Se plantou trevas, se semeou sombras, certamente espelhará sombras e colherás trevas. Todavia, basta um SIM à canalização da LUZ DIVINA e será um receptáculo de cores flamejantes. Luz e sombra intermediando o grande encontro da essência cósmica.

Conhecem esta cor Flink. Não conhecem? Flink é uma cor desconhecida do planeta terra. Não dá para explicar qual é a cor Flink.

Flink?!

Flink existe?

De onde é Flink?

Marte, Júpiter, Saturno...

Flinck é uma cor que foge?

Ou é uma fuga que foge da cor?

É bom brincar de viver!

24/05/2009

FOGO TRANSMUTADOR



Em tempo de transmutação de consciência, é o fogo sagrado que proporciona este embalo de ardência que toca a alma, que faz chorar lágrimas de sangue, que embola o meio do campo, que chicoteia o lombo.
É a ardência que abrasa, inflama e jaz no peito. É o grito que retumba, e ressoa no corpo... É o eco que ecoa, repercutindo na alma. E o corpo sente e ressente e a alma chora a mesma cantilena.
È o Fogo Sagrado balançando nossos pés de caminhante evolutivo, e vibrando em atrozes sacudidelas pra lá e pra cá...
O Fogo Sagrado provoca um brandimento corporal. Sacode, tremula, agita, oscila, abala o edifício de nossas certezas e das incertezas.
Ele brilha no horizonte de nossas frontes, mas não enxergamos sua beleza. Ele é a voz que clama no deserto da alma, mas não escutamos seus alaridos. É a sarça candente que queima os corações endurecidos, que nunca percebe o combustível eficaz para a transmutação da viciada e torpe consciência.
É nesta cativante urdidura que o Fogo Sagrado, como uma sarça ardente queima e corta como uma lâmina sagrada às crenças limitantes, purifica as sombras, retifica as trilhas desnorteadas...
Evidencia a saída da rota de peregrinação em direção a luz. A perda do norte existencial, e o pior de tudo, esquecemos onde deixamos o mapa...
É esta ardência solar que apresenta a Sabedoria Consciencial que indica a direção ao caminho de volta para casa, sugere e conclama ao retorno. Este fogo indomável inspira e conspira para a transmutação da consciência, integrando a luz e a sombra, o passado e o presente, o pessoal e o transpessoal. Ajuda resgatar a inocência perdida, nos ensina a aprender com as experiências sofridas, a integrar as partes fragmentadas de nossa alma.
O mais importante para a peregrinação é a mudança de caráter. Isto é como o fogo refinando o ouro. O ouro não gosta deste processo e acha doloroso; depois de o ouro ser derretido e se converter num formoso jarro, então acreditará no fogo.
Por isso todos os sofrimentos trazem mudanças que a princípio são dolorosas. Muitas vezes é na forja de 500 graus centígrados que uma barra de ouro, se transforma em lindo jarro. Muitos seres humanos só aprendem quando está na forja. Alguns gritam, agitam, esbravejam, resmungam, perdem a lucidez, falta o bom senso... Outros compreendem o propósito espiritual de cada dor.
Fica a pergunta no ar:
E nós?
Quando a dor bate em nossa porta. Que fazemos?
Quando o sofrimento nos leva a uma forja de 500 graus centígrados, esbravejamos?
Fica no ar a pergunta... É isso aí... Olhe, veja e sinta!
È o momento de acessar e perceber o movimento do Fogo Sagrado em nossa vida sugerindo uma transmutação, conspirando para instalar o novo paradigma.
Abrindo nossos olhos para encontrar os olhos sagrados e descortinar um novo olhar e enxergar o bem de toda situação.
Ouvir o inaudível, conquistando a escuta profunda da voz que chama e que clama... Escute! Mude sua vida! Modifique sua rota!
É a hora adequada para deixar que o Fogo Sagrado exerça sua benigna maestria. É o momento propício, para que a Sarça Divina endireite os pés rumo às trilhas da luz.
É chegada a hora de acessar uma visão em perspectiva global, abrindo-se para o novo...
Aterrar, respirar, inspirar e conspirar para a superação da negatividade, dos medos, dos julgamentos e sentimentos de inadequação decorrentes de uma percepção fragmentada e forma equivocada de enxergar a vida.
E assim, rogamos ao Fogo Sagrado que opere sua maestria de transmutação em nossa alma e que nos ajude a retornar a trajetória evolutiva. E que o grande raio da Divina Luz transmute nossa consciência, nos envolvendo com a retidão de nobres qualidades, com a fidelidade e retidão Divina. Ajudando-nos a construir um coração humano para melhorar a vida no planeta terra.
Que possamos dar boas vindas ao Fogo Sagrado e bons augúrios para cada um de nós.
O fogo Cósmico traz a mudança e conspira para a transmutação da alma! (Norma Villares)

ORAÇÃO DIÁRIA DO GUARDIÃO DA CHAMA

Uma chama é Ativa.
Uma Chama é Vital
Uma Chama é Eterna.
EU SOU uma Chama Divina de amor radiante
Que emana do Coração de Deus.
No Grande Sol Central
E desce do Mestre da vida!
O meu ser transborda agora
Com a suma Consciência Divina
E a Percepção Solar
Dos bem-amados Hélios e Vesta.
Peregrino na Terra,
Avanço cada dia pelo caminho
Da Vitória dos Mestres Ascensos.
Que me conduz à liberdade eterna
Pelo poder do fogo sagrado
Hoje e sempre,
Manifestando-se continuamente
Nos meus pensamentos, sentimentos e percepções,
Transcendendo e transmutando
Todos os elementos terrenos
Nos meus quatro corpos inferiores
E libertando-me, pelo poder do fogo sagrado,
Desses focos de energia corrompida, presentes no meu ser.
EU SOU libertado neste instante de tudo o que escraviza.
Pelas correntes da chama divina,
Do próprio fogo sagrado,
cujo efeito ascendente faz de mim
Deus em manifestação,
Deus em ação, por Ele guiado
Eu sou um só com Sua consciência!
EU SOU uma chama ativa!
EU SOU uma chama vital!
EU SOU uma chama eterna!
EU SOU uma centelha de fogo em expansão
Originada no Grande Sol Central.
Atraindo a mim agora todos os raios
De Divina energia de que necessito
E que nunca pode ser qualificada pela criação humana
E que me inunda da luz e da divina iluminação de mil sóis
Para que exerça o domínio
E seja eternamente a suprema autoridade
Onde quer que eu esteja!
Onde eu estou, está Deus também.
Para sempre EU SOU um só com Ele,
Intensificando a minha luz
Com o sorriso do Seu esplendor,
A plenitude do Seu Amor
A onisciência da Sua Sabedoria,
E o poder da Sua Vida eterna,
Que automaticamente me eleva
Nas asas vitoriosas da ascensão,
Que me farão regressar ao Coração de Deus
Do qual eu desci, na verdade,
para cumprir a sua Vontade
E a todos manifestar a vida abundante!

(DECRETO AO SENHOR HIMALAYA - esta oração foi extraída do livro de Decretos da Summit Lighthouse).

22/05/2009

AMOR



"O amor é a asa veloz que Deus deu

à alma para que ela voe até o céu"

(Michelângelo Buonarroti)

ERA DO UNICÓRNIO



Unicórnio, ou licórnio, é um animal mitológico que tem a forma de um cavalo, geralmente branco, com um único chifre em espiral. Sua imagem está associada à pureza e à força. Segundo as narrativas são seres dóceis; porém são as mulheres virgens que têm mais facilidade para tocá-los.
Tema de notável recorrência nas artes medievais e renascentistas, o unicórnio, assim como todos os outros animais fantásticos, não possui um significado único.
Considerado um equino fabuloso benéfico, com um grande corno na cabeça, o unicórnio entra nos bestiários em associação à virgindade, já que o mito compreende que o único ser capaz de domar um unicórnio é uma donzela pura. Leonardo da Vinci escreveu o seguinte sobre o unicórnio:
"O unicórnio, através da sua intemperança e incapacidade de se dominar, e devido ao deleite que as donzelas lhe proporcionam, esquece a sua ferocidade e selvajaria. Ele põe de parte a desconfiança, aproxima-se da donzela sentada e adormece no seu regaço. Assim os caçadores conseguem caça-lo."





Símbolo da pureza, esperança, amor, majestade, poder, honestidade, liberdade e de tudo de bom que há no ser humano. É um ser selvagem e indomesticável, muitos acreditam que apenas uma virgem pode domesticar o unicórnio, deixando-o indefeso aos caçadores. É rápido, forte e que habita jardins sem lugar específico. Em função de suas viagens eles precisam descansar e para isso eles procuram um lugar escondido onde não haja perigo. Tomam água corrente e comem frutas e grãos maduros ou folhas tenras dessas árvores. A duração do Unicórnio na Terra é muito maior que o do Homem.

A Lenda - O primeiro unicórnio chegou embrulhado em uma nuvem, impelida por um vórtice branco. Desceu com suavidade dos céus aos campos infantis da Terra. Dotado de um chifre de luz em espiral. Com seu chifre penetrou uma pedra, e uma fonte de vida brotou. A Terra começou a ser fecundada com coisas frutíferas. Grandes árvores floresceram; e abaixo em suas sombras foram povoadas com bestas selvagens. Tudo isso era intenção de Deus, e o Unicórnio, o instrumento de seu querer. Deste modo se forma o Jardim do Unicórnio, é chamado Shamagim que quer dizer Lugar onde há Água. Deus fala ao Unicórnio então: " Unicórnio! Você será, entre todas minhas criações, a que em memória permanente da Luz, será seu guia e guardião. Mas você nunca devolverá a Luz até o final do Tempo".

Como Surgiu a Lenda? O unicórnio surgiu da mitologia oriental, grega e romana, também é mencionado na bíblia [Salmo 22:21], [Salmo 29:6] e [Salmo 92:10]. Seu nome vem de duas palavras do latim: "unus" que significa um e "cornu" que significa chifre.

O Chifre - É um talismã de poder soberano, mas sua força e virtude só serão ativadas através de um trabalho de um Unicórnio. Sua luz diminuirá até se extinguir quando nas mãos de outro. No Chifre reside a história total do Unicórnio e também é o recipiente de seus pensamentos. Muitos acreditam que ele tem poder de cura e que é ser um antídoto para veneno. A forma deles é um espiral: os dois meios, ou flautas, são unidos um ao outro. Em horas de perigo ou de concentração prolongada o Chifre pode exalar certo brilho ou um esplendor suave. Para a proteção do unicórnio, não podemos ver o seu chifre, ou seja, com isso, o unicórnio é confundido com um simples cavalo.

NO BESTIÁRIO DO I CHING

O Kin Lin (unicórnio) é um dos animais mais importante do bestiário mítico chinês. Quando de seus aparecimentos, anuncia uma importante mudança, a vinda de um sábio ou a aproximação de uma era universal. Com sua juba de leão, seus cascos de cavalo e seu focinho de dragão, ele sempre se torna o mensageiro dos acontecimentos antigos, feéricos, e dos augúrios mais favoráveis. Ë a montaria do Ancestral do trovão e pode percorrer milhares de léguas num instante.
Conta-se que ele enviou um mapa mágico ao imperador Yu, fundador da dinastia Xia. Foi com esse mapa e com os oito trigramas revelados ao imperador Fu Xi que a cosmologia chinesa tomou forma. O Kin Lin, símbolo da presença súbita e transitória do signo no qual se fundamenta a confiança, é, por essa razão, associado com o corpo espiritual e imortal nas práticas alquímicas taoístas.
A origem do tema do unicórnio é incerta e se perde nos tempos. Presente nos pavilhões de imperadores chineses e na narrativa da vida de Confúcio e por muito tempo a tradição chinesa fez dele o embaixador que anunciou à mãe de Confúcio, antes do nascimento deste último, o destino excepcional de seu filho.
Mas, recentemente, chegou-se ao consenso de que essa missão caberia antes à fénix.
Em outras palavras, segundo se diz, a importância do pensamento de Confúcio teria sido, durante a sua vida, notavelmente mais eficiente.
Por outro lado, o simbolismo da categoria dos funcionários militares coloca-o na frente do leão, do leopardo e do tigre. Os frontões dos templos chineses representam às vezes o Kin Lin sustentando os oito trigramas do Céu anterior, os quais, segundo o mito, foram levados a Fu Xi pela tartaruga. Ele suplantou esta última como se fosse superior a ela. O I Ching afirma justamente essa superioridade, mas num contexto em que o estado de falta predomina. Trata-se do hexagrama 41, A diminuição, em que faltam os elementos que permitem restabelecer um equilíbrio. Ë desse nada que surge uma força nova. O hexagrama afirma-se de grau em grau, de linha em linha, e introduz a noção de progresso em suas duas linhas superiores, transformando a situação em seu contrário de uma maneira repentina e quase miraculosa, que faz referência à passagem do unicórnio; o texto clássico diz:
Nem mesmo dez casais de tartarugas podem opor-se a ele.
Uma única tartaruga já evoca a dimensão mítica... O que pensar então de dez casais de tartarugas? O Kin Lin é o rei dos animais míticos. Ele se vincula ao destino de uma transformação que surge ou ressurge das sombras. Sem ele, não existiriam nem o I Ching nem, provavelmente, o homem.
Ele figura nos tratados alquímicos na representação de um único ser, ou seja a reunião dos opostos. Os herméticos, quando estavam prestes a realizar uma grande descoberta, desenhavam um unicórnio como uma espécie de guardião desta informação. Também simboliza com seu chifre no meio de sua fronte, a flecha espiritual, o raio solar, a espada de Deus e a revelação divina. Os alquimistas viam no unicórnio a imagem do hermafrodita (homem e mulher); um ser que transcende a própria sexualidade. A representatividade chinesa do macro e microcosmos e das duas energias que regem das duas energias que regem o mundo, yin e yang; o feminino e o masculino; o bem e o mal; a ordem e o caos; - energias opostas que se complementam. A força intrínseca do Universo convertendo-se ora em uma, ora em outra


A NOVA ERA
Percebemos o avanço da Nova Era’que vem surgindo de uma forma natural e sincrônica, embora em nível diferente, com a ‘Nova Ordem Mundial’ a cujo serviço se encontra.
Atualmente sentimos necessidades preeminentes de uma harmonia global, a sociedade não suporta mais tantas guerras, destruições, dissensões e tantos desastres... Detectamos que estamos caminhando ‘pari passu’ para uma rota de colapso. E não queremos mais endereçar nossos pés para uma colisão.
E como na mitologia chinesa o KIN LIN (unicórnio) trata-se de um símbolo da mansidão, da pureza, da boa sorte, do amor, da majestade, do poder, da honestidade, da transcendência da sexualidade, da liberdade e de tudo quanto de bom exista no ser humano. Atualmente fala-se da chegada da ‘ERA DO UNICÓRNIO’ um novo paradigma ao nível consciencial gerando novos níveis de excelências nas relações sociais e globais.
A ‘Nova Era’ simbolizando as qualidades que o ser humano ainda precisa ter: retidão e paz de espírito para conquistar seu caminho evolutivo. E como o chifre do Kin Lin é uma flexa espiritual, a espada Divina, um raio solar, quando ativada vem trazer toda revelação Divina, gerando um novo Ser Humano – mutatis mutandi - para uma “Nova Era”.
Que o Poder do Unicórnio inspire você!

NOVIDADES
"Unicórnio" surpreende pesquisadores, uma lenda que virou realidade. Uma corça de um único chifre ficou famosa e levou pesquisadores à cidade italiana de Prato, na Toscana. O animal, que tem quase um ano de idade, ganhou o apropriado apelido de Unicórnio. Os machos da espécie têm como característica um par de chifres. Mas Unicórnio tem apenas um, que surgiu exatamente no centro da cabeça. Ele tem um irmão gêmeo com dois chifres.
O animal nasceu em cativeiro, dentro do parque mantido pelo Centro de Ciências Naturais de Prato. De acordo com Gilberto Tozzi, diretor do centro, é possível que uma falha genética tenha causado a anomalia. É o encontro da realidade com o mito.




Referência bibliográfica:
1. SAAD, Ezéchiel. O I CHING – O Oráculo Chinês, Mito e História - Tradução: Maria stela Gonçalves. 10ª Edição, 1995. Editora Pensamento- São Paulo.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...