Pages

Subscribe

27/12/2009

POR QUE É TÃO DIFÍCIL RELACIONAR?


Porque você ainda não é.
Há um vazio interior e o medo de que ao se relacionar com alguém, mais cedo ou mais tarde, você será exposto como sendo vazio. Por isso parece mais seguro manter distância das pessoas, pelo menos você pode fingir que é. Você não é.

V
ocê ainda não nasceu, é apenas uma potencialidade.

V
ocê ainda não esta preenchido e só duas pessoas preenchidas podem se relacionar. Relacionar-se é uma das melhores coisas da vida: relacionar-se significa compartilhar. Mas antes de poder compartilhar, você tem que ter. E antes de poder amar, você deve estar cheio de amor, transbordando de amor.

D
uas sementes não podem se relacionar, elas estão fechadas. Duas flores podem se relacionar, elas estão abertas, podem mandar suas fragrâncias uma à outra, podem dançar no mesmo sol e no mesmo vento, podem dialogar, podem sussurrar. Mas isso não é possível para duas sementes.
As sementes são totalmente fechadas, sem janelas - como podem se relacionar? E esta é a situação.

O ser humano nasceu como uma semente. Ele pode se tornar flor, ou não.

Tudo depende de você, do que faz consigo mesmo; tudo depende de você, crescer ou não.
A escolha é sua - e ela tem que ser encarada a cada momento; você está na encruzilhada a cada momento. Milhões de pessoas decidem não crescer. Elas permanecem sementes, permanecem potencialidades, nunca se tornam realidade.
Elas não sabem o que é auto-realização, não sabem o que é auto-concretização, não sabem nada do ser. Vazias elas vivem e totalmente vazias elas morrem. Como podem se relacionar?

Isso será expor a si mesmo - sua nudez, sua feiúra, seu vazio. Parece mais seguro manter uma distância. Até mesmo amantes mantém distância; eles só vão até um ponto e permanecem atentos de onde voltar. Eles têm limites, nunca atravessam os limites, permanecem confinados em seus limites.

S
im, há um tipo de relacionamento, mas não o de se relacionar, é o de possuir: o marido possui a esposa, a esposa possui o marido, os pais possuem os filhos, e assim por diante.

M
as possuir não é se relacionar. Na verdade, possuir é destruir todas as possibilidades de se relacionar.

S
e você se relaciona, você respeita, você não pode possuir. Se você se relaciona, há uma grande reverência. Se você se relaciona, chega perto, muito perto, em profunda intimidade, se sobrepõe.

Contudo, a liberdade do outro não é invadida, o outro permanece um indivíduo independente. O relacionamento é o do eu-você e não do eu-isso - se sobrepondo, interpenetrando, todavia num sentido independente.

K
halil Gibram diz:

"Sejam como dois pilares que sustentam o mesmo teto, mas não comece a possuir o outro. Deixe o outro independente. Sustentem o mesmo teto: esse teto é o amor".

Dois amante sustentam algo invisível e algo imensamente valioso:uma certa poesia dor ser, uma certa música ouvida nos mais profundos recantos da sua existência. Eles se apóiam, apóiam uma certa harmonia, mas mesmo assim permanecem independentes. Eles podem se expor ao outro, porque não há medo algum. Eles sabem quem são.

Eles conhecem sua beleza interior, conhecem seu perfume interior, não há medo nenhum. Mas normalmente o medo existe, porque você não tem nenhum perfume.

S
e você se expor, simplesmente federá. Você federá ciúmes, raivas, ódios, cobiças. Você não terá o perfume do amor, da oração, da compaixão.

Milhões de pessoas decidiram permanecer sementes. Por que?
Se elas podem se tornar flores e podem também dançar ao vento, sob o sol e sob a lua, por que decidiram permanecer sementes? Há algo em suas decisões. A semente esta mais segura do que a flor. A flor é frágil; a semente não é frágil, a semente parece mais forte.
A flor pode ser destruída muito facilmente; apenas um vento forte, e as pétalas murcham. A semente não pode ser destruída tão facilmente pelo vento; a semente está muito protegida, segura. A flor exposta, uma coisa tão delicada e exposta a tantos perigos. O vento pode vir forte, pode chover a cântaros, o sol pode ser forte demais, algum tolo pode colher a flor. Qualquer coisa pode acontecer à flor, tudo pode acontecer à flor; a flor está constantemente em perigo. Mas a semente está segura!

Por isso milhões de pessoas decidem permanecer sementes, mas permanecer semente é permanecer morto, permanecer semente é não viver de modo algum. Certamente ela está segura, mas não tem vida.

A morte é segura, a vida é insegura. A pessoa que realmente quer viver, tem que viver em perigo, em constante perigo. Aquele que quer escalar os mais alto picos tem que correr o risco de cair de algum lugar, de escorregar.
Quanto maior o desejo de crescer, mais e mais perigo tem de ser aceito. O homem verdadeiro aceita o perigo como seu próprio estilo de vida, como seu próprio clima de crescimento.

Você me pergunta:

"Por que é tão difícil se relacionar?"


É difícil porque você ainda não é. Primeiro seja.
Tudo mais é possível só depois disso: primeiro seja.

J
esus disse isso em sua própria maneira: "Primeiro busque o reino de Deus, então tudo o mais será dado a você". Essa é simplesmente uma velha expressão para a mesma coisa que eu estou dizendo: primeiro seja, então tudo o mais será dado à você. Mas ser é o requisito básico. Se você é, a coragem vem como consequência. Se você é, um grande desejo de se aventurar, de descobrir, surge. E quando você está pronto para descobrir, você pode se relacionar.

Relacionar é descobrir - descobrir a consciência do outro, descobrir o território do outro. Mas quando você descobre o território do outro, tem que permitir e dar as boas vindas para o outro descobrir você. Não pode ser um caminho de mão única. E você pode permitir que o outro o descubra somente quando tiver algum tesouro dentro de si. Então não há medo. Na verdade você convida a pessoa, abraça o convidado, o chama para dentro, quer que ele entre.

V
ocê quer que ele veja o que você descobriu em si mesmo, quer compartilhar.

S
e você é, um grande desejo de se aventurar, de descobrir, surge. Primeiro seja, então você pode se relacionar. E lembre-se, relacionar é lindo. Relacionamento é um fenômeno totalmente diferente; relacionamento é algo morto, fixo, um ponto final chegou. Agora as coisa apenas declinarão. Você chegou ao limite, nada mais está crescendo. O rio parou se tornando um reservatório.

Relacionamento é uma coisa completa. Relacionar é um processo.

Evite relacionamentos e vá cada vez mais fundo no relacionar. A minha ênfase está em verbos, não em substantivos. Evite substantivos o máximo possível. Na linguagem você não pode evitar, eu sei, mas na vida, evite - Porque a vida é um verbo. A vida não é um substantivo; é na verdade "viver" e não "vida". Não é "amor", é "amar". Não é relacionamento é relacionar. Não é uma canção, é cantar. Não é uma dança, é dançar.

Veja a diferença, saboreie a diferença. Uma dança é algo completo; os últimos toques foram feitos, agora não há mais nada a fazer. Algo completo é algo morto. A vida não conhece nenhum ponto final; virgulas sim, mas pontos finais não. Lugares de descanso sim, mas chegada não.

E
m vez de pensar em como se relacionar, preencha o primeiro requisito: medite, seja.

E
ntão o relacionar surgirá por si próprio. A pessoa que se torna silenciosa, em benção, que começa a ter energias transbordantes, que se torna uma flor, tem que se relacionar. Não é algo que ela tenha que aprender como fazer; é algo que começa a acontecer. Ela se relaciona com as pessoas, se relaciona com animais, se relaciona com arvores, se relaciona até mesmo com rochas.

Na verdade ela se relaciona vinte e quatro horas por dia. Se ela esta caminhando na terra, está se relacionado com a terra - seus pés tocando a terra, isso é um relacionar-se.
Se ela está nadando no rio, esta se relacionando com o rio, e se está olhando para as estrelas, está se relacionando com as estrelas. Não é uma questão de relacionamento com alguém em particular.A questão básica é, se você é, a sua vida se torna um relacionar-se.

É
uma constante canção, uma constante dança, é um continuum, um fluir como o rio. Medite, encontre o seu próprio centro primeiro. Antes que você possa se relacionar com outra pessoa, relacionar-se consigo mesmo: esse é o requisito básico a ser preenchido. Sem ele nada é possível. Com ele, nada é impossível. (Osho)



Pense nisso!

Você nasceu com uma enorme possibilidade de inteligência.
Você nasceu com uma luz dentro de você.
Ouça a pequena e silenciosa voz dentro de você, ela irá guiá-lo.
Ninguém mais poderá guiá-lo, ninguém mais poderá ser um modelo para a sua vida, porque você é único.
Nunca houve ninguém como você, e jamais voltará a existir outra pessoa exactamente como você essa é a sua glória, sua grandeza: o facto de ser absolutamente insubstituível, de ser apenas você mesmo e ninguém mais. Osho


fiori1.gif


Osho originalmente é um título de reverência concedido a certos mestres na tradição Zen do Budismo. Por exemplo, "Osho Bodhidharma". Atualmente, o título é mais comumente relacionado com o controverso filósofo indiano originalmente conhecido como Bhagwan Shree Rajneesh.



Fonte:


1. - http://gdaleth.vilabol.uol.com.br/medos.html

2. - http://pt.wikipedia.org/wiki/Osho.




22/12/2009

UM NATAL COM CONSCIÊNCIA!




Caminheiros(as) Evolutivos(as)
Uma pessoa sábia encontra seu verdadeiro lugar no mundo, e vive de acordo com o que o destino lhe reserva. Sua força interior alimenta suas ações e todas as pessoas beneficiam com suas atitudes.

A chama energética do ser humano de consciência desperta e espiritualmente elevada, espalhe-se além de suas ações no mundo. Aquilo que é invisível e não possui substância física, não tem significação se não influenciar o aprimoramento das ações do homem e de outras pessoas.

O sucesso vem para os humildes de alma e coração, que oferecem seus sacrifícios para maior benefício de outras pessoas no mundo.

Que a força e a luz do Cristo que tudo permeia no Universo, posso envolver você e sua família neste Natal. E que esta energia perdure por ano de 2010.
O meu presente de Natal, uma flor de lótus e um poema de Ruy Barbosa, para ativar estados de consciência elevada, para nos tocar profundo e despertar a alma, espalhando a ética por este Brasil varonil.




TENHO VERGONHA DE MIM


"Por ter sido educadora de parte desse povo,
por ter batalhado sempre pela justiça,
por compactuar com a honestidade,
por primar pela verdade
e por ver este povo já chamado varonil
enveredar pelo caminho da desonra.

Sinto vergonha de mim
por ter feito parte de uma era
que lutou pela democracia,
pela liberdade de ser
e ter que entregar aos meus filhos,
simples e abominavelmente,
a derrota das virtudes pelos vícios,
a ausência da sensatez
no julgamento da verdade,
a negligência com a família,
célula-mater da sociedade,
a demasiada preocupação
com o "eu" feliz a qualquer custo,
buscando a tal "felicidade"
em caminhos eivados de desrespeito
para com o seu próximo.

Tenho vergonha de mim
pela passividade em ouvir,
sem despejar meu verbo,
a tantas desculpas ditadas
pelo orgulho e vaidade,
a tanta falta de humildade
para reconhecer um erro cometido,
a tantos "floreios" para justificar
atos criminosos,
a tanta relutância
em esquecer a antiga posição
de sempre "contestar",
voltar atrás
e mudar o futuro.

Tenho vergonha de mim
pois faço parte de um povo
que não reconheço,
enveredando por caminhos
que não quero percorrer...

Tenho vergonha da minha impotência,
da minha falta de garra,
das minhas desilusões
e do meu cansaço.
Não tenho para onde ir
pois amo este meu chão,
vibro ao ouvir meu Hino
e jamais usei a minha Bandeira
para enxugar o meu suor
ou enrolar meu corpo
na pecaminosa manifestação de nacionalidade.

Ao lado da vergonha de mim,
tenho tanta pena de ti, povo brasileiro!
De tanto ver triunfar as nulidades,
de tanto ver prosperar a desonra,
de tanto ver crescer a injustiça,
de tanto ver agigantarem-se os poderes
nas mãos dos maus,
o homem chega a desanimar da virtude,
a rir-se da honra,

a ter vergonha de ser honesto".


Cleide Canton


Este último verso é de autoria de Ruy Barbosa.




Feliz natal e Ano Novo de muitas realizações sociais, ecológicas e humanitárias!

São os votos sinceros

Sublimes abraços.

21/12/2009

STAND BY ME

A música é um grande farol que ilumina a todos indistintamente. Imperdível este vídeo, ao assistirmos percebemos o quanto a música e tecnologia são impressionantes.Trata-se de um grupo de pessoas, que não se conhecem entre si. É aqui que entram os técnicos de som e imagem voluntários e sem remuneração, que se ocuparam de captar o som de cada um dos "cantores", individual e mundialmente (são atuações ao ar livre e isso é extremamente difícil de fazer sem "ruídos exteriores"). Posto isto e remixado, atingindo um nível de pureza musical notável, chegaram a este maravilhoso musical conseguida através de alta tecnologia, e que num instante, junta as pessoas de todo o mundo, fazendo-as sentir e falar ao mesmo tempo a mesma linguagem universal... A música realmente tem esta linguagem universal que encanta, que vibra n'alma. E são motivos de união de várias raças e credos. Momentos como este, de grande dedicação e generosidade, fazem-nos ainda ter alguma esperança na "raça humana.O idealizador desta vídeo é Mark Johnson.

Assistam com a tela CHEIA. São tantas emoções!





Clica no vídeo no lado direito abaixo e assista com a tela inteira. É muito lindo e emocionante. Espero que tenham gostado, postarei outros vídeos neste estilo, e também são geniais.When the night has come

Stand My Me

And the land is dark
And the moon is the only light we'll see
No I won't be afraid, No I won't be afraid
Just as long as you stand, stand by me

Refrão:
So darling, darling
Stand by me, oh, stand by me
Oh stand, stand by me,
Stand by me

If the sky that we look upon
Should tumble and fall
Or the mountains should crumble to the sea
I won't cry, I won't cry
No I won't shed a tear
Just as long as you stand, stand by me

Refrão

Whenever you're in trouble, won't you stand by me
Oh stand by me,
oh won't you stand now?
stand by me


REGINA GOULART SANTOS no comentário me deu a letra da música, pra vocês cantarem juntos
.



20/12/2009

ANTENAS NO CORAÇÃO




No silêncio amalgamado
A gentileza brota em flores
Perfuma os caminhos em olores
E as mãos invisíveis tecem a teia
E vibra profundo no coração
É a vontade maior de união
E que o Divino conspira
Sons inaudíveis vibram
O que resta neste momento
São ricos espaços abertos ...
Para escuta profunda

Dos grinados cósmicos
E o lúdico abriu-se em presença
E o chamado se concretiza
E numa folha secreta
Escrevo...
Em linhas imaginárias
Com letras invisíveis
Aquilo que quer saber
Leia se puder...
Onde a vista pode alcançar
Nas entrelinhas ou entremeios
Entenda se quiser, compreenda se tiver
Antenas na mente e coração enamorado
É puro e silente amor
Reverberando por união


Norma Villares
19.12.2008

19/12/2009

PAX !

Pax!


Certa vez, um amigo espiritual me disse:


- “Filho, amor é algo para se dar, não para se receber.”

Naqueles dias, nós todos, que recebemos com pouco entendimento a fala do querido mentor, nos debatíamos na tentativa de compreender a essência de uma fala tão simples e ao mesmo tempo tão inalcançável no atual estágio.


Os anos se passaram e, mormente tenhamos a nítida certeza de que ainda não apreendemos o claro significado da singela frase, parece que a cada ciclo que se encerra absorvemos mais um fragmento dessa compreensão.


Levamos quase metade de nossa existência para aprender a controlar o corpo a um nível aceitável de convivência e arrumar as nossas vidas nas questões práticas. Atravessamos uma série de lesões, desenvolvemos sintomas e temores, entramos no luto pelas muitas “mortes” que nos visitaram ao longo da estrada e, não raro, fizemos nossa caminhada tendo chuva em nossos olhos. Do início ao fim, a nossa busca foi e ainda é o Amor...


Entretanto, mesmo compreendendo a inegável legitimidade dessa busca, dou-me conta de que, na tentativa de encontrá-lo, nossa maior frustração advém do fato de que o procuramos nas pessoas, no sentido de que o nosso desejo é de encontrarmos alguém que nos ame, que nos ajude, que tenha compaixão de nós, que nos acolha nas horas difíceis, que nos ouça, que nos faça felizes e que nos complete enquanto amigos, amantes e seres. Temos buscado amor sim, mas no sentido de saciar nossa fome e sede de alma e existência. Essa busca é do ego e nos encaminha para o apego, para a posse e para a perda.


Talvez se, junto a essa procura, pudéssemos agregar o desejo de amar alguém pelo ato de amar, ajudar alguém pelo amor ao bem, nos compadecermos de alguém, estendendo-lhe a caridade, acolher alguém em suas épocas áridas e felicitar alguém que vagasse na desesperança, a nossa estrada fosse mais rica de trocas e a chuva visitaria nossos olhos apenas nos momentos de alegria, pois estaríamos a um passo de nos transformarmos em mensageiros do Senhor.


Não haveria solidões irremediáveis nem temores intransponíveis. Ungidos na inspiração Crística de amor às criaturas, estaríamos um passo adiante na tarefa de evoluir e auxiliar a evoluir e, ainda na Terra, poderíamos desfrutar do reino dos Céus com profunda serenidade e pacificação.


O ouro de nossos bolsos nos traria o conforto necessário, mas o outro não precisaria sofrer a privação desnecessária quando, bem ao lado, existe fartura e abastança. Não seria preciso dividir o tempo, posto que nossos sentimentos nos direcionariam para todas as coisas realmente importantes de serem feitas, sem prejuízo e sem sensação de sacrifício.


Em uma única existência cabem oportunidades suficientes para realizar um enorme bem para a humanidade e, por conseqüência, para nós mesmos. Às vezes esquecemos que somos irmãos uns dos outros, sobretudo quando as máscaras da carne e das condutas desviadas nos distanciam dos outros por medo, desprezo ou indiferença. A celebração de Cristo em nós não precisa ser restrita aos familiares e aos brilhos natalinos. Nossas auras se estiverem amorosas, terão mil vezes o brilho da mais linda árvore de natal. Desejamos coisas na substituição do amor que queremos, porque, em vão, acreditamos que elas nos trarão felicidade, quando são apenas capazes de nos proporcionar provisório contentamento.


Se quisermos amor, precisamos dá-lo indistintamente, pois “amor é algo para se dar, não para se receber”.


Paz imorredoura a todos os Seres,


Recebi esta mensagem de meu senciente amigo Francisco Masan, e achei bonita e com força para reflexões profundas, por isso estou postando aqui no blog.



Neste Natal deixe o Mestre do Amor pousar em seu coração.


Lembre-se de suas falas:


Eu vos trouxe a minha Paz,

Eu vos deixo a minha Paz!



17/12/2009

O PRIMEIRO MITO AMOROSO


O verdadeiro amor conquista tudo

No fundo do coração, todos nós acreditamos secretamente neste mito do amor: o de que, se realmente amarmos nosso parceiro, seremos capazes de fazer o relacionamento dar certo. Nenhum problema, nenhum conflito, nenhum conjunto de circunstâncias será insuperável se simplesmente amarmos o bastante.

Exercicio: Faça um exame de seus relacionamentos passados, ou dos problemas do relacionamento atual, e preencha a lacuna da sentença no que se refere a você. Faça um lista de pela menos uma dúzia de respostas que se refiram a diferentes parceiros que tenha tido.

• Se eu amar meu parceiro o bastante, não importa....
• Se eu amar meu parceiro o bastante, não importa .....

Exemplos:

Se eu amar meu parceiro o bastante, não importa que ele beba muito.
Se eu amar meu parceiro o bastante, não importa que nossa vida sexual não seja grande coisa.
Se eu amar meu parceiro o bastante, não importa que ele me traia.
Se eu amar meu parceiro o bastante, não importa que ele seja católico e eu judia.
Se eu amar meu parceiro o bastante, não importa que eu não me sinta atraida por ele sexualmente.
Se eu amar meu parceiro o bastante, não importa que ele me critique o tempo todo.
Se eu amar meu parceiro o bastante, não importa que briguemos pela educação das crianças.
Se eu amar meu parceiro o bastante, não importa que ele não tenha emprego e esteja sem trabalhar há mais de dois anos.
Se eu amar meu parceiro o bastante, não importa que eu não me dê bem com os filhos dele.
Se eu amar meu parceiro o bastante, não importa que a família dele não me aceite.
Se eu amar meu parceiro o bastante, não importa que eu tenha dificuldade de dizer como me sinto.
Se eu amar meu parceiro o bastante, não importa que ele(a) não tenha esquecido sua antiga namorada(o) ou esposa(o).
Se eu amar meu parceiro o bastante, não importa que eu seja trinta anos mais nova que ele.
Se eu amar meu parceiro o bastante, não importa que vivamos em regiões opostas.



E as consequências de acreditar no MITO AMOROSO Nº 1:


1. Você evita encarar seus problemas de relacionamento, ou buscar para esses problemas, dizendo a si mesma(o):

"Se nós nos amamos o bastante, nenhum desses conflitos ou diferenças de personali­dade importará".

Dennis, era judeu e sua noiva, Alice, era católica. Eles tinham namorado durante dois anos e, embora conversassem sobre suas diferenças religiosas, nunca tinham realmente resolvido seus sentimentos a respeito do assunto. "Sempre tive a preocupação de que um dia seria um problema", confessou Dennis, "mas nós nos dávamos muito bem em tantas outras coisas, e eu não queria estragar tudo. Então Alice e eu começamos a falar sobre casamento. Quando pensei em meu futuro e em ter filhos, dei-me conta de que desejava que minhas crianças fossem educadas na fé judaica e de que havia coisas sobre o fato de Alice não ser judia de que eu também sentia falta, embora nunca lhe tivesse dito nada. Pedi que se convertesse, mas ela se recusou. É católica convicta e diz que deseja ser casada na Igreja por um padre, o que significa que não poderia desposar um judeu praticante. Fico torcendo ardentemente para que nosso amor supere essas diferenças, mas elas não desaparecem."

O amor que Alice e Dennis sentiam um pelo outro não era suficiente para ultrapassar o fosso da incompatibilidade religiosa. Embora muitos casais consigam fazer casamentos interconfessionais funcionarem, Alice e Dennis eram profundamente arraigados a suas próprias crenças para que pudessem chegar a um acordo. Não importa quanto se preocupassem um com o outro; não poderiam ser felizes e leais para com suas próprias religiões ficando juntos. Mas recusaram-se a encarar tais arestas, dizendo a si mesmos: "Se nós realmente nos amamos, nossas diferenças não importarão". E continuaram tentando se amar e se aceitar mais mutuamente, nunca enfrentando o óbvio até o final. E por falta de negociação, eles se divorciaram.

2. Você mantém relacionamentos sem amor e pouco gratificantes mesmo quando não estão dando certo, afirmando-se: "Se eu simplesmente amá-lo(a) mais, ele (ela) vai mudar".

Kimberly, de 28 anos, e seu marido David, de 30, estavam juntos havia seis anos, mas parece que não podiam conviver a não ser em constante discussão. "Eu amo muito David", explicou Kimberly com lágrimas nos olhos, "mas não paro de criticá-lo continuamente. Eu o estou deixando louco e me odeio por fazer isso." Pedi a Kimberly que relacionasse suas queixas a respeito do marido. "David é o tipo de pessoa quieta. É completamente introspectivo e não aprecia muito se relacionar com uma porção de gente. Eu já sou totalmente o oposto: sou muito passeadeira e conversadora e adoro me divertir, encontrar os amigos e viver a vida com paixão. Detesto dizer isso, mas sinto-me aborrecida um bocado de tempo com ele. Parece que nós não temos sobre o que conversar, e sempre me parece que o estou arrancando de dentro de concha."
"Eu disse a Kim que esse era meu modo de ser", replicou David, tenso. "Quero que seja feliz, mas sinto que ela me pede para ser alguém que não sou. Sempre fui 'devagar' e realmente não pretendo mudar."
Kimberly tinha casado com David porque estava à procura de estabilidade, depois de ter iludido com um namorado de faculdade. Ela estava tão preocupada em certificar de que ele era um bom rapaz, que nunca se perguntou se eles combinavam um com o outro. Kimberly e David tinham tantas diferenças no modo de vida, temperamento e personalidade, que uma convivência harmoniosa era praticamente impossível. Eles se amavam muito, mas isso não era o suficiente para fazer com que o relacionamento desse certo.
Mas Kimberly acreditava no Mito Amoroso nº 1, de que o verdadeiro amor conquista tudo, e permaneceu ao lado de David, com esperança de que ele mudasse, se o amasse ainda mais. Ela nunca considerou a possibilidade de que David não mudaria simplesmente porque não desejava fazê-lo. E continuou tentando desempenhar o papel da esposa perfeita, crendo que seu amor transformaria David, do homem que era, naquele que ela gostaria que fosse.
Infelizmente, a crença nesse Mito Amoroso pode provocar sofrimento, desilusão e até danos físicos, porque nos leva a persistir em relacionamentos que não são saudáveis. Pessoas com auto-estima muito baixa ou que sofreram maus-tratos e negligência na infância frequentemente se vêem mergulhadas em relacionamentos viciados que acham difícil de abandonar, persuadindo-se de que basta que amem mais seu parceiro para que seu comportamento nocivo desapareça e seja substituído por amor e afeição. Eis aí uma armadilha. A disfunção de comportamento de seu parceiro é determinada por forças que nada têm a ver com sua capacidade de amar.


3. Você se castiga emocionalmente quando um relacionamento não dá certo afirmando a si mesma(o): "Se eu apenas o(a) tivesse amado mais, sei que conseguiria salvá-lo(a)".

Eileen, de 54 anos, era casada com Raul, de 60, havia 31 anos. Raul era alcoólatra cujos ataques de fúria e irresponsabilidade tinham atormentado Eileen e seus três filhos durante toda a vida. Depois de muito suplicar ao marido para que procurasse auxílio e se defrontar com sua absoluta negação do problema, ela reuniu coragem para se separar. Dois anos depois do divórcio, procurou um terapeita a fim de obter ajuda com relação a seus sentimentos de depressão. Quando lhe perguntei sobre o que achava que a perturbava, ela respondeu: "Acho que estou me sentindo culpada".
— Culpada por deixar seu marido?
— Não exatamente por deixá-lo — explicou Eileen com lagrimas nos olhos—, mas culpada por não ter me empenhado mais para que tudo desse certo. Sinto-me como se o tivesse abandonado. Se eu mesma tivesse ido a um maior número de reuniões da Associação dos Alcoólicos Anónimos, talvez pudesse compreendê-lo melhor e ele deixasse de beber. Ou, quem sabe, se eu tivesse sido mais afetuosa ou o satisfizesse melhor, ele tivesse desistido do álcool.
Quanto mais conversávamos, mais óbvio se tornava que Eileen ainda estava se punindo pelo que via como seu fracasso na salvação do casamento. Sua mãe sempre lhe dissera que "uma boa esposa permanece ao lado do marido na tempestade e na bonança", e por isso ela se sentia uma esposa inadequada. A depressão de Eileen era uma decorrência de sua crença no Mito Amoroso nº l - segundo o qual se tivesse amado Raul um pouco mais seu matrimónio teria funcionado. A realidade do amor é muito diferente da do mito. É claro que o amor é o alicerce para um bom relacionamento. Mas, para que este sobreviva e floresça, é necessário bem mais que isso.

A realidade sobre o Mito Amoroso nº 1 é a seguinte:

O AMOR NÃO É SUFICIENTE PARA FAZER UM RELACIO­NAMENTO DAR CERTO; TAMBÉM SÃO NECESSÁRIOS A COMPATIBILIDADE E O COMPROMISSO.

A triste verdade é que muito poucos relacionamentos terminam não porque os dois parceiros não se amam, mas sim porque eles não combinam um com o outro.
Estar consciente desse fato a partir das próprias experiências dolorosas em diversos relacionamentos passados, é um bom caminho. Como muitas pessoas que vivem com um parceiro errado, que tenta compensar a ausência de compatibilidade se esforçando ao máximo e amando mais. Porém, no fim das contas, se não se combina o suficiente para viver juntos de uma maneira pacífica e feliz, acaba arcando com a culpa pessoal, julgando que se tivesse amado mais, as diferenças não teriam tido tanto peso decisivo. Até descobrir que está errado, as diferenças têm um peso decisivo, muitas vezes apenas o bastante para tornar o relacionamento desafiador, mas noutras vezes o suficiente para transformá-lo numa carga pouco saudável e compensadora.

Desta forma, percebemos que o MITO AMOROSO Nº 1, é muito importante ser avaliado, vez que nem sempre os parceiros são maduros suficientes para ter habilidades de relacionar e vencer os desafios.

É muito dificil ultrapassar a concepção mitologica pessoal, pois ela fica impregnada em todo os campos do ser, tornando-se uma crença tão forte, que nada serve que não se encaixe nos limites a crença.

O maior desafio de bem relacionar é construir habilidades e os parceiros tem que estar comprometidos com o relacionamento. Depois postaremos sobre tais aspectos.

Amigos, estarei postando outros temas onde poderemos observar mais detalhadamente como descobrir se somos compatíveis com uma a outra pessoa.

Próximos capítulos, estarei postando o MITO AMOROSO Nº 2. Mas , postarei nos intervalos outros posts para relaxar, cantar, dar risadas.


Referência bibliográfica:

1. Angelis de Barbara. Você É A pessoa Certa Para Mim.Editora Círculo do Livro, 4ª edição, 1995 São Paulo.


16/12/2009

BRASIL MEU BRASIL



Animação Pato Donald e Zé Carioca em seu primeiro encontro. Esse vídeo é uma maravilhosa raridade. É um filme no qual o Pato Donald, criado pelo genial Disney, é apresentado ao Zé Carioca, criado para este "cartoon". Aqui mostram-se também as atrações do Rio de Janeiro. APESAR DA GENIALIDADE DO VÍDEO, POUCOS DE NÓS PUDEMOS VÊ-LO, em virtude das reclamações de direitos autorais da Disney. Este show foi criado na década de 40, sem uso de softwares e computadores. Zé Carioca Aquarela Brasil Pato Donald Desenho Disney


Deixo aqui também uma carta de uma aluna de JOINVILE que comove e emociona.

"Descobri que ainda sou capaz de me comover e de me emocionar. O patriotismo de uma jovem de Joinville usando a letra do Hino Nacional para mostrar o seu amor pelo Brasil me comoveu. Na cidade de Joinville houve um concurso de redação na rede municipal de ensino. O título recomendado pela professora foi: 'Dai pão a quem tem fome'.

Incrível, mas o primeiro lugar foi conquistado por uma menina de apenas 14 anos de idade. E ela se inspirou exatamente na letra de nosso Hino Nacional para redigir um texto, que demonstra que os brasileiros verde amarelos precisam perceber o verdadeiro sentido de patriotismo. Leiam o que escreveu essa jovem. É uma demonstração pura de amor à Pátria e uma lição a tantos brasileiros que já não sabem mais o que é este sentimento cívico. Vamos lá.


'Certa noite, ao entrar em minha sala de aula, vi num mapa-mundi, o nosso Brasil chorar: O que houve, meu Brasil brasileiro? Perguntei-lhe!

E ele, espreguiçando-se em seu berço esplêndido, esparramado e verdejante sobre a América do Sul, respondeu chorando, com suas lágrimas amazônicas: Estou sofrendo. Vejam o que estão fazendo comigo...

Antes, os meus bosques tinham mais flores e meus seios mais amores. Meu povo era heróico e os seus brados retumbantes. O sol da liberdade era mais fúlgido e brilhava no céu a todo instante.

Onde anda a liberdade, onde estão os braços fortes?

Eu era a Pátria amada, idolatrada. Havia paz no futuro e glórias no passado. Nenhum filho meu fugia à luta. Eu era a terra adorada e dos filhos deste solo era a mãe gentil.

Eu era gigante pela própria natureza, que hoje devastam e queimam, sem nenhum homem de coragem que às margens plácidas de algum riachinho, tenha a coragem de gritar mais alto para libertar-me desses novos tiranos que ousam roubar o verde louro de minha flâmula.

Eu, não suportando as chorosas queixas do Brasil, fui para o jardim. Era noite e pude ver a imagem do Cruzeiro que resplandece no lábaro que o nosso país ostenta estrelado. Pensei... Conseguiremos salvar esse país sem braços fortes? Pensei mais... Quem nos devolverá a grandeza que a Pátria nos traz?

Voltei à sala, mas encontrei o mapa silencioso e mudo, como uma criança dormindo em seu berço esplêndido.'


Olhe gente, mesmo que ela seja a ultima brasileira patriota, valeu a pena viver para ler o texto. Por isso estou postando aqui para vocês. Recebi este texto por e-mail e sem autoria, se alguém souber quem é o autora, me escreva que colocarei os créditos. Coisas da internet... risos.

15/12/2009

FESTA DE ANIVERSÁRIO





COMEMORAÇÃO DE UM ANO DE BLOG


Aos amigos do peito e da alma, de longe e de perto.

Amigos são como flores, que rego à medida de suas necessidades. Que abraço forte, sem cercear a liberdade. Que amo sem esperar reciprocidade.

Amigos são jóias raras, que a qualquer sinal respondo com meu afeto que é incondicional e genuíno.

Assim agindo e trilhando, nós construímos um lindo jardim de amizades, com

inúmeras espécimes de flores, continuamente exalando seus perfumes cósmicos e sendo visitado pelas aves Divinas.

Com atenção ao cultivo destas flores, e conspirando exalar perfumes numinosos, comemoramos a FESTA DE ANIVERSÁRIO de nosso blog "ECOS DA ALMA".

Sem a presença de vocês nada seria possível, por isso agradeço de coração aberto a cada um pelas visitas, pelos acompanhamentos e comentários. São 179 seguidores, 12.489 visitas, 91 postagens, 1.306 comentários.


Meu especial obrigado a minha amiga Tereza Ferraz "Viajantes Alados" e Fausto Sotam " A Via da Libertação" pelos primeiros comentários e incentivo. E que foram muito importante para continuidade deste blog. Você são nota 10. Vale a pena conhecer esses blogs.


Flores para vocês blogueiros especiais que elevam o estado consciencial da blogsfera. Cada um trazendo seu perfume, seu alegria, sua riqueza interior. Muito obrigada pela presença!


SEGUE AQUARELA DO BRASIL PRA VOCÊS




Esse vídeo é para assistir uma, duas, três, mil vezes!
Reparem a perfeição na dicção das palavras em português. Pode-se perceber levemente a pronuncia diferente da nossa, mas é de arrepiar a excelência da pronúncia. Show de bola do BR6 e Perpetuum Jazzil. Parece um coral de brasileiros, mas os cantores são da Eslovênia.

Acreditem!

Fonte do Vídeo:
(Aquarela do Brasil by Perpetuum Jazzile feat. BR6, performed live at Vokal Xtravaganzza 2008 October 2008)

14/12/2009

SESSÃO BESTEROL


Visão simplificada de como funciona a cabeça de uma mulher...



ALGO TÃO SIMPLES ASSIM E OS HOMENS NÃO ENTENDEM!?
E para variar a mulher vem sozinha, sem manual!
Porém este diagrama já explica muito.
Não sei exatamente o que explica, mas é muito...
Claro, este diagrama aplica a todas as mulheres,
fora algumas cujo diagrama fica: "detalhado entre essas duas aspas".
O diagrama foi ampliado por 50 x Zoom para ver melhor. (Steven Mark)

Estamos iniciando uma sessão besterol, por estrita recomendação médica precisamos de fazer uma vez por por semana qualquer coisa nesse estilo. Diminui o colesterol, aumenta serotonina, dopamina e todas as "inas" fabricadas pelo organismo. Mulheres não se zangue, é brincadeirinha, sorriam.

"RIR AINDA É O MELHOR REMÉDIO"

13/12/2009

MITOS DO AMOR


Estava assistindo uma palestra de Divaldo Franco, quando ele relatava uma história verídica para reflexão:

Ele tinha uma grande amiga, queria se casar e estava procurando um homem perfeito. Ela falava com gestos e formosura daquele homem que ela queria encontrar, com riquezas de detalhes expunha sobre seu princípe encantado. Muitos anos se passaram, e ela nada de se casar. Num certo dia, ela chega cheia de vida, informando que encontrara seu homem perfeito.

Divaldo pergunta:
- E vocês se casaram?
Ela responde:
- Não. Ele estava procurando uma mulher perfeita (demos muitas risadas).

Muitos seres humanos vivem correndo atrás de miragens, vivenciados pela força de crenças ou atitudes com noções falsas sobre os "racionamentos” que desenvolvemos a partir de: contos de fadas, televisão e cinema, de literatura romântica e, a falta de ensinamento sobre o amor gera muitas distorções acerca desse palpitante assunto.

É muito bom lembrar:

'Que a razão só tem razão quando dentro dela palpita um coração'.

Esquecemos disso e racionamos muito com um manacial de crenças limitantes, pois a realidade aponta para desmistificar tais idealizações. Nenhum ser humano pode competir com o ser idealizado pelo outro. O ser real é incompatível com o ser idealizado.

Tais idealizações formam um conjunto de miragens que não levam a lugar nenhum, a não ser realizar no mundo da vida as crenças limitantes e obsoletas. A concretização ou ratificação dessas crenças limitantes acerca dos mitos amorosos, deixa passar o melhor da vida, que é a realização do Amor maduro.

Os mitos amorosos são crenças que muitos de nós mantemos a respeito do amor e do romance, e que realmente nos impedem de fazer escolhas amorosas saudáveis, maduras e inteligentes.

Consciente e inconscientemente, fundamentamos nossas decisões nos relacionamentos basendo-se nesses “Mitos Amorosos”.

A Dra. Barbara de Angelis enumera os “Mitos Amorosos” mais fatais.

1. O VERDADEIRO AMOR CONQUISTA TUDO.

2. QUANDO FOR REALMENTE UM AMOR VERDADEIRO, VOCÊ SABERÁ NO MOMENTO EM QUE ENCONTRAR A OUTRA PESSOA.

3. HÁ APENAS UM ÚNICO AMOR VERDADEIRO NESTE MUNDO QUE É O CERTO PARA VOCÊ.

4. O PARCEIRO PERFEITO PREENCHERÁ TODAS AS SUAS NECESSIDADES.

5. QUANDO VOCÊ SENTE UMA PODEROSA "QUÍMICA SEXUAL" COM ALGUÉM, TEM DE SER AMOR.

Esses mitos mostram que faltam muitas informações sobre amor, e relacionar não é tão fácil assim. E o pior, se não encaixar no molde perfeito e idealizado do mito, não serve, não presta. Porque tem que estar modelado exatamente no ideal, nem mais, nem menos.

É a grande querela entre o IDEAL x REAL.

Quem sai ganhando?????

Acredito que ninguém sai ganhando, pois são dissenções de imaturos que só gera ansiedades. E nesse rumo de ansiedades todos saem perdendo. E muitas vezes a ansiedade é uma grande obstáculo nesta corrida de encontrar um amor saudável e maduro.

Vemos que as pessoas estão num eterna corrida eterna para encontrar o AMOR. E o que encontra são decepções e mais ansiedades... ansiedades... ansiedades...

E para encontrar o amor maduro não necessita de correr, não necessita da ansiedade. O grande Fernando Pessoa discorre tão bem acerca dessa ânsia louca e insana, vejamos:

"Enquanto não superarmos a ânsia do amor sem limites, não podemos crescer emocionalmente.

Enquanto não atravessarmos a dor de nossa própria solidão, continuaremos a nos buscar em outras metades. Para viver a dois, antes, é necessário ser um."

Muito rica e madura essa fala de Fernando Pessoa, o amadurecimento pessoal é o ponto frucal do amadurecimento relacional.

Eu vou postar gradativamente sobre esses mitos amorosos, e vamos discutindo esses conhecimentos para aprendermos.

Quicá, um dia estaremos realizando o amor maduro e saudável.

Boa sorte!


09/12/2009

AMOR É FOGO QUE ARDE SEM SE VER



Amor é fogo que arde sem se ver;
É ferida que dói e não se sente;
É um contentamento descontente;
É dor que desatina sem doer;

É um não querer mais que bem querer;
É solitário andar por entre a gente;
É nunca contentar-se de contente;
É cuidar que se ganha em se perder;

É querer estar preso por vontade;
É servir a quem vence, o vencedor;
É ter com quem nos mata lealdade.

Mas como causar pode seu favor
Nos corações humanos amizade,
se tão contrário a si é o mesmo Amor?
Luiz Vaz de Camões


Luiz Vaz de Camões, é um primor de todos os primores, ele leva ao mundo da realidade e fantasia com riquezas impar. E Bocage assim o retratava:

"Camões, grande Camões, quão semelhante
Camões, grande Camões, quão semelhante
Acho teu fado ao meu, quando os cotejo!
Igual causa nos fez, perdendo o Tejo,
Arrostar co'o sacrílego gigante.
Como tu, junto ao Ganges sussurrante,
Da penúria cruel no horror me vejo.
Como tu, gostos vãos, que em vão desejo,
Também carpindo estou, saudoso amante.
Ludíbrio, como tu, da Sorte dura
Meu fim demando ao Céu, pela certeza
De que só terei paz na sepultura.
Modelo meu tu és, mas . . . oh, tristeza! . . .
Se te imito nos transes da Ventura,
Não te imito nos dons da Natureza."


Numa prova de redação num vestibular da Universidade baiana foi cobrado dos candidatos a interpretação do trecho desse famoso poema de Camões. Uma vestibulanda de 16 anos deu a sua interpretação:


"Ah, Camões!, se vivesses hoje em dia,
tomavas uns antipiréticos,
uns quantos analgésicos
e Prozac para a depressão.
Compravas um computador,
consultavas a Internet
e descobririas que essas dores que sentias,
esses calores que te abrasavam,
essas mudanças de humor repentinas,
esses desatinos sem nexo,
não eram feridas de amor,
mas somente falta de sexo!"


A candidata obteve nota 10 pela originalidade, pela estruturação dos versos, pelas rimas insinuantes. Pela primeira vez ao longo de mais de 500 anos, alguém desconfiou que o problema de Camões era apenas falta de sexo. É da natureza criativa dos poetas, criar tempestades em copos dágua. Se não o fossem, não haveria o que se encantar em versos. Se é falta de sexo, ou ausência de nexo, só se poderia saber, à época, nunca descobriremos.

Não indico o nome da candidata que escreveu esses versos, porque recebi um email desse jeito, por isso se alguém souber, colocarei os créditos aqui no blog. Eu sei que todos conhecem esse poema, mas acho tão lindo e gostaria de deixar guardadinho aqui no blog, viu...
Abraços
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...